Biocombustível: Frente diz que Fazenda resiste ao marco relatório

Você está aqui:
Imagem: Julien Tromeur, SXC Imagem: Julien Tromeur, SXC

09/07/2013

O presidente da Frente Parlamentar do Biodiesel, deputado Jerônimo Goergen (RS), disse nesta segunda-feira que a demora do governo de aprovar o novo marco relatório do setor, com o aumento do porcentual de mistura ao diesel fóssil, se deve à resistência do Ministério da Fazenda, que teme os efeitos do impacto da medida na inflação.

Goergen afirmou que o parecer dos técnicos da Fazenda apresentado à presidente Dilma Rousseff adiou a decisão do governo, ´pois a área econômica é favorável à importação do óleo diesel e exportação do óleo de soja´. Segundo ele, o novo marco regulatório proposto pelo Ministério das Minas e Energia eleva a mistura para 7% de biocombustível ao diesel fóssil neste ano e para 10% em 2020, ´mas o secretário Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis, Marco Antonio Almeida Martins, pediu até agosto para voltar a conversar sobre o assunto, porque o Ministério da Fazenda iria analisar os possíveis cenários´.

Fonte: Agência Estado