Chineses vão adquirir hidrelétricas no Brasil

Você está aqui:
Estatal chinesa opera a maior usina do mundo, a hidrelétrica Três Gargantas. (Imagem: Reprodução) Estatal chinesa opera a maior usina do mundo, a hidrelétrica Três Gargantas. (Imagem: Reprodução)

09/12/2013

Em uma nova investida de estatais chinesas no setor de energia no Brasil, a China Three Georges (CTG) firmou ontem acordo com a EDP no Brasil para a aquisição de 50% de dois ativos de geração hidrelétrica em construção no Estado do Amapá. Por conta dessa operação, a companhia chinesa aportará quase R$ 900 milhões no País, divididos entre o pagamento à EDP no Brasil e investimentos nas duas usinas. As empresas também assinaram acordo para futuros projetos no País.

Pelo acordo, a CTG irá pagar R$ 490 milhões pela participação de 50% na usina Santo Antonio do Jari, além de desembolsar mais R$ 81 milhões em investimentos. Pelos 50% de Cachoeira Caldeirão, a estatal chinesa irá devolver os investimentos já realizados pela EDP no Brasil no projeto, que está na fase inicial de construção, e irá assumir os compromissos de investimentos até o fim das obras, perfazendo R$ 294 milhões.

Investimento

Até setembro deste ano, a EDP no Brasil já havia investido R$ 152,5 milhões nessa usina, dos quais 50% (R$ 76,2 milhões) serão ressarcidos. Os dois projetos somam capacidade de 592 megawatts (MW).

A operação envolvendo a CTG e a EDP no Brasil reforça o apetite dos chineses por ativos no exterior e, sobretudo, a posição do Brasil como um dos principais destinos desses investimentos. A CTG atuava de forma indireta no Brasil por meio da Energia de Portugal (EDP), controladora da EDP no Brasil.

Em Portugal

A estatal chinesa, que opera a maior usina do mundo, a hidrelétrica Três Gargantas, adquiriu 21,35% da EDP em Portugal no fim de 2011, no processo de privatização conduzido pelo governo português. Nessa disputa, a empresa derrotou, entre outras companhias, as estatais brasileiras Eletrobras e Cemig.

Fonte: Diário do Nordeste