Fiji discute futuro das exportações para União Europeia

Você está aqui:
Barun Patro, SXC Barun Patro, SXC

13/10/2014

As organizações Fairtrade da Índia, Belize, Fiji,  India e Ilhas Maurício  se reuniram em Lautoka, segunda maior cidade de Fiji, para debater sobre novas metodologias para aumentar a produtividade açucareira destes países sem onerar agricultores.
Os responsáveis pelo segmento de açúcar do Fairtrade explicaram para os presentes que a maior preocupação no momento é encontrar métodos para aumentar a produtividade dos agricultores. Segundo , diretora de protudo do Fairtrade International Sugar, o objetivo do encontro, voltado apenas para o açúcar, é discutir ferramentas e manejos que integrem baixos custos aos incrementos produtivos. Medidas necessárias para tornar este produto mais competitivo em mercados internacionais.
Para  Berresheim-Kleinke , produtores pertencentes à ACP –África, Caribe e Pacífico, que contempla 79 países, serão prejudicados pelos estímulos comerciais à agricultores europeus de beterraba.“Fiji, Belize e Ilhas Maurício, que integram a ACP, exportam seus montantes produtivos para União Europeia e regiões no continente Europeu que passaram por reformas sobre cotas para açúcar de beterraba foram reduzidas, estimulando a produção deste açúcar naquele continente, acirrando a competição para fornecimento de açúcar na Europa”, explica.
Para os organizadores, a conferência permitiu a criação de uma rede para articulação de estratégias, que será coordenada pela Índia, esta será composta por especialistas do setor e diretores do Fairtrade, em parceria com produtores locais de açúcar.

Fonte: Jornal da Cana