Giro do Açúcar

Você está aqui:
Ján Messaros, SXC Ján Messaros, SXC

04/08/2014

Nepal
Usina em Manaharwa, no distrito de Bara, concordou em compensar os agricultores de cana por não terem comprado sua safra, como previamente contratado, de acordo com “eKantipur” do Nepal.
A Reliance Sugar Mill terminou de moer a cana-de-açúcar mais cedo que o previsto, e os agricultores ficaram revoltados pela usina ter ficado apenas com metade dos 30 mil quintais de cana como acordado. A questão foi resolvida depois que a administração da usina concordou em compensar os produtores.
O setor do país enfrentou outros problemas graves este ano. Em 6 de maio, um comitê liderado pelo governo fixou os preços da cana-de-açúcar, pondo fim a uma disputa de quatro meses entre os agricultores e produtores de açúcar, pois foi forçado a assumir a questão depois de membros da Assembléia Constituinte o criticou por negligência com os agricultores.
A cana-de-açúcar é cultivada em 70 mil hectares em 17 distritos, sendo que Sarlahi, Mahottari e Nawalparasi são os principais produtores de cana-de-açúcar do país.
Malawi
Há trinta e cinco anos, mais de quatrocentos agricultores de subsistência na cidade de Chisita, na região central do Malawi, lutam nos tribunais do país, em uma tentativa de recuperar seiscentos hectares de terra, que a usina Illovo Malawi ocupou em 1979, de acordo com imprensa do país.
A usina no entanto nega tal disputa e agricultores se queixam de justiça lenta e tendenciosa.
Mercado
Futuros do açúcar bruto podem fechar no nível mais baixo desde dezoito de fevereiro. Especialistas acreditam que tal tendência se deve à dados que mostram aumento do consumo de doces em todo o mundo.
Futuros do açúcar na ICE em Nova Iorque tiveram queda para outubro, de 1,3% sendo negociados em 16.24 centavos por libra peso.

Fonte: Jornal da Cana, escrito por Patrícia Barci