Moagem de cana-de-açúcar cai para 38,79 milhões de toneladas

Você está aqui:
Jesuino Souza, SXC Jesuino Souza, SXC

02/06/2014

A moagem de cana-de-açúcar pelas indústrias do Centro-Sul brasileiro atingiu 38,79 milhões de toneladas na primeira quinzena de maio de 2014, volume 4,03% menor do que o observado na mesma quinzena da safra 2013/2014 (40,42 milhões de toneladas), informou nesta terça-feira (27) a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica).

De acordo com a entidade, no acumulado desde o início da safra 2014/2015 até 15 de maio, houve uma menor quantidade de cana-de-açúcar processada no comparativo com 2013. "O volume moído até a referida data alcançou 79,34 milhões de toneladas, ante 82,14 milhões de toneladas contabilizadas na safra 2013/2014 (queda de 3,41%)".

“O número de usinas em processamento neste ano ainda continua abaixo daquele apurado em 2013, comprometendo o avanço da moagem”, afirma o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues. De acordo com a União, em algumas unidades produtoras consultadas não há previsão de data para início da safra, em função de problemas financeiros.
Em balanço apresentado nesta terça a UNICA diz ainda que "o número de unidades operando até o momento é inferior ao verificado em 2013. Foram registradas 249 plantas industriais em operação até o final da primeira metade de maio (destas, 29 usinas iniciaram safra na primeira quinzena do mês), contra 268 empresas registradas até a mesma data da safra passada".

ATR
A concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima processada atingiu 114,14 kg desde o início da safra 2014/2015 até 15 de maio. Na primeira metade deste mês, totalizou 121,28 kg por tonelada de cana-de-açúcar, ante 123,79 kg por tonelada na mesma quinzena do último ano, descreveu ainda a entidade.

A produtividade agrícola também diminuiu. Levantamento realizado pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) aponta que o rendimento médio da lavoura colhida na região Centro-Sul desde o início da atual safra até o momento alcançou 82,09 toneladas de cana-de-açúcar por hectare, queda de 7,10% em relação ao mesmo período do último ano.

Segundo a UNICA, a retração do teor de açúcares na planta durante a primeira quinzena de maio refere-se ao “ATR produto”. "O cálculo utilizado para obter o 'ATR produto' se dá a partir do volume de cana-de-açúcar processada e das produções de etanol e de açúcar, tomando certas premissas relativas às perdas industriais e às eficiências de fermentação e de destilação. Diante desta metodologia de cálculo e considerando que muitas unidades iniciaram esta safra no decorrer da primeira metade de maio, houve um descompasso entre a quantidade de cana registrada e o respectivo montante de produtos fabricados".
De acordo com o diretor da UNICA, “os dados de ATR apurados a partir de análises laboratoriais e computados no sistema de informações do Consecana-SP indicam para maio de 2014 um índice levemente superior aquele observado no mesmo mês de 2013”. O baixo volume de chuvas ao final da primeira metade de maio estimulou a concentração de açúcares pela planta e esta condição deverá se refletir em um maior “ATR produto” na próxima quinzena, acrescentou o executivo.

Fonte: G1