OIA diz temer impacto do clima na produção brasileira de açúcar

Você está aqui:
Jesuino Souza, SXC Jesuino Souza, SXC

12/05/2014

A Organização Internacional do Açúcar (OIA) demonstrou preocupação com a produção brasileira em 2014/2015. Após a seca que ainda afeta o Centro-Sul do País, principal região produtora de cana-de-açúcar, há previsão de ocorrência de El Niño, que poderia antecipar a época de chuvas. A menor produção somada à perspectiva de menor índice de sacarose preocupa a entidade.
"As preocupações sobre o impacto potencial do longo período de seca durante os meses de verão no Centro-Sul do Brasil sobre a safra de 2014/2015 continuaram a pautar o sentimento do mercado em abril. O tempo seco pode reduzir a produção da cana em áreas importantes do Brasil para menos de 80 toneladas por hectare", diz o relatório mensal divulgado nesta quarta-feira pela entidade. "Também há temor a respeito do aumento da possibilidade do El Niño este ano, o que poderia trazer as primeiras chuvas ao Centro-Sul já a partir de agosto ou setembro", diz o documento da OIA.
No relatório, a entidade lembra que a ocorrência do El Niño na safra de 2009/2010 fez com que chamado o índice de Açúcar Total Recuperado (ATR) - que mede a produtividade da cana em termos de sacarose - caísse para o patamar histórico de 130 quilos por tonelada. "O mercado está preocupado que a menor produção de cana combinada com a menor produtividade em sacarose pode atrapalhar ainda mais a safra 2014/2015", diz o documento.
Apesar da possível queda na produção brasileira, o mercado ainda considera que há superávit global de açúcar. Em abril, o preço médio do açúcar bruto - calculado pelo índice ISA Daily Price - terminou em 17,61 centavos de dólar por libra-peso, valor 1,6% menor que a média de março.

Fonte: Estadão Conteúdo