Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos tem faturamento de R$ 101,7 bi em 2014

Você está aqui:
Imagem: Steven Goodwin, SXC Imagem: Steven Goodwin, SXC

30/03/2015

Com um faturamento na ordem de R$ 101,7 bilhões, o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos registrou crescimento nominal de 11% em 2014, se comparado aos R$ 91,9 bilhões, de 2013, segundo dados do Euromonitor. Com isso, o Brasil segue como terceiro maior mercado consumidor de HPPC do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e China, se distanciando cada vez mais do Japão, que ocupa a quarta posição.

“Esse desempenho está associado a importantes fatores que impulsionam a indústria nacional, como o investimento em inovação e publicidade. Cerca de 30% do faturamento bianual de HPPC é proveniente de lançamentos e somos hoje o setor industrial que mais investe em comunicação, de acordo com informações do Ibope”, afirma João Carlos Basilio, presidente da Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC).

Responsável por mais de 1,8% do PIB nacional, a indústria brasileira de HPPC segue representando 9,4% do consumo mundial e ocupa uma fatia de mais de 53% do mercado latino-americano. “Sem dúvida, o Brasil é a grande potência da América Latina. Entre os principais mercados destino das exportações brasileiras do setor estão Argentina, Chile, Venezuela, México e Colômbia, sendo que a categoria de produtos para cabelos é a mais exportada”, reforça o executivo.

O segmento de perfumaria movimenta um mercado de mais de R$ 17,1 bilhões. O de desodorantes tem um faturamento de R$ 11,5 bilhões. Na categoria de proteção solar, são R$ 4,1 bilhões.

Entre as principais categorias em que o Brasil figura como 2º maior consumidor mundial estão produtos masculinos, infantis e para cabelos.

Nos últimos cinco anos, o segmento de produtos infantis obteve um crescimento médio composto de aproximadamente 14%, alçando faturamento de R$ 4,5 bilhões em 2014. A categoria de produtos masculinos representa quase 11% do consumo total de HPPC. As vendas dobraram nos últimos cinco anos e registraram no ano passado um faturamento de R$ 11,1 bilhões.

No mercado de cabelos, o desempenho não foi diferente. Impulsionado pelas categorias de condicionadores, colorantes e xampu, que juntos representam 90% do segmento, o País registrou um faturamento de R$ 21,2 bilhões, um crescimento de 11% frente a 2013.

Fonte: América Economia