Tailândia terá que reduzir preços do açúcar para baixar estoques

Você está aqui:
Maria Kaloudi, SXC Maria Kaloudi, SXC

11/08/2014

Tailândia, segundo maior exportador de açúcar do mundo, depois do Brasil, será forçado a reduzir os preços do adoçante, se quiser atrair os seus consumidores, já que o país ainda está com mais de um terço da produção parada nos mercados, de acordo com a Reuters.

Além disso, o excesso de fornecimento da Tailândia pode estar pressionando os preços globais, apesar que estimativas apontam para um equilíbrio nos próximos anos , depois de quatro anos consecutivos de superávit.

Após uma colheita recorde de 11 milhões de toneladas em 2013/14, safra recém finalizada, o país asiático enfrenta uma concorrência feroz, não só no Brasil, mas também com a Índia, que entrou significativamente no mercado exportações este ano.

A Tailândia ainda tem cerca de 4,30 milhões de toneladas, sendo 1,80 milhões de toneladas de açúcar bruto e 2,50 milhões de toneladas de açúcar branco.

Fonte: Biocana, com informações de ProCana Brasil